Cirurgia refrativa: LASIK ou PRK?

As técnicas mais usadas em cirurgia a laser nos olhos para correção de grau são a cirurgia refrativa PRK e a LASIK. Abaixo vamos tratar sobre o preço e explicar as diferenças entre as duas cirurgias.

Só quem usa óculos ou lentes de contato sabe o quanto esse acessório pode ser incômodo, por isso a cirurgia refrativa é tão popular e, para muitos, um símbolo de independência.

A cirurgia refrativa é uma maneira de corrigir erros de refração de maneira prolongada, sendo a cirurgia a laser usada para corrigir o grau da miopia, hipermetropia e astigmatismo, a fim de reduzir a dependência dos óculos.

Nas técnicas PRK e LASIK, o cirurgião utiliza o Excimer Laser para esculpir a córnea e adequar o seu formato. Por isso é chamada de "cirurgia a laser". As diferenças principais entre a cirurgia PRK e cirurgia LASIK são a forma de acesso do laser, o tempo de recuperação, os critérios do pós-operatório e o valor do procedimento.

Para pessoas que tem indicação cirúrgica, a técnica PRK se aplica a maioria dos casos, no entanto, a escolha entre LASIK e PRK depende de condições específicas da estrutura ocular do paciente, como a espessura e formato da córnea. O cirurgião usa os resultados de exames, a avaliação prévia e o perfil de atividades do paciente para indicar qual das técnicas é mais indicadas, ou se as duas são aplicáveis.

Agende consultas e tire dúvidas pelo WhatsApp (61) 3346-3569

Como é feita a cirurgia refrativa?

A cirurgia refrativa costuma ser um procedimento rápido, realizado em centro cirúrgico por um cirurgião oftalmologista especialista em córnea e refração.

Na técnica chamada de "LASIK", o cirurgião faz uma incisão na córnea que permite levantá-la, como uma tampa, possibilitando o acesso do laser e aplicação diretamente na córnea. Já na técnica "PRK", há um processo de raspagem, expondo a córnea e permitindo a aplicação do laser.

Ambas as técnicas cirúrgicas são bastante seguras, e a LASIK se destaca por ter uma recuperação mais rápida, tendo a visão recuperada em 90% após o primeiro dia. No entanto, a LASIK não é indicada para todos. Para quem tem uma córnea muito fina ou não tem uma curvatura corneana adequada, a cirurgia refrativa PRK é a mais indicada para a cirurgia de correção do grau.

Cirurgia LASIK com IntraLase

Como visto mais acima, na cirurgia LASIK, o cirurgião faz uma incisão na córnea para utilizar o Excimer Laser. Essa incisão é como um recorte, chamado de flap, que pode ser feito com uma lâmina automatizada de alta precisão, chamada Microcerátomo, ou por um laser de Femtossegundo. O IntraLase é uma tecnologia laser Femtossegundo.

O IntraLase é o mais popular e disseminado, mas existem outras tecnologias Femtossegundo, como Visulas, Femto LDV e Femtec, cada uma delas com propostas distintas e, inclusive, pelo laser Femtossegudos ser uma ferramenta cirúrgica flexível e poderosa, também é usado em outros tipos de procedimentos oculares, como anel intra-corneano e transplantes de córnea.

Na cirurgia refrativa, o IntraLase e outros lasers Femtossegundos, costumam proporcionar um recorte mais regular, mas tanto a cirurgia LASIK com microcerátomo quanto a LASIK com Intralase produzem resultados semelhantes e extremamente satisfatórios.

Quem pode fazer cirurgia refrativa?

A avaliação médica do cirurgião oftalmologista é o que determinará se um paciente pode ou não fazer a cirurgia a laser nos olhos. Além da estrutura dos olhos, alguns outros fatores influenciam na decisão do médico.

Disponibilizamos um teste rápido para saber se você pode fazer a cirurgia refrativa, basta responder algumas perguntas e o resultado sai na hora.

Antes de mais nada, o grau do paciente deve estar estabilizado. Portanto, não ter tido alteração do grau na prescrição dos óculos ou lentes nos últimos dois anos é essencial. Geralmente, o grau estabiliza por volta dos 18 e 21 anos, mas isso pode variar de acordo com outros fatores que influenciam no desenvolvimento do olho.

Uma vez com o grau estabilizado, o médico oftalmologista fará a avaliação do paciente e solicitará exames dependendo de cada caso, o mais comum é um exame de tomografia de córnea, os mais conhecidos são Galilei e Pentacam. O exame mostra informações essenciais que definirão se é possível ou não realizar a cirurgia.

Algumas doenças, medicações e condições, como, por exemplo, gravidez, amamentação ou diabetes descompensada, também inviabilizam a realização da cirurgia.

Qual a melhor cirurgia refrativa?

Tanto a cirurgia refrativa PRK quanto a LASIK com ou sem IntraLase tem resultados semelhantes, mas o tempo de recuperação da PRK é bem maior. Devido ao processo de raspagem, na PRK a modificação da córnea é bem mais intensa do que a realizada pela LASIK.

Na cirurgia LASIK, como o recorte é pequeno, ele se integra novamente à estrutura da córnea rapidamente, enquanto na PRK a córnea leva alguns meses para se recuperar. O pós-operatório da PRK necessita, também, de cuidados especiais, como evitar a incidência solar por até um ano, além de outros cuidados de acordo com a recuperação.

O preço da cirurgia refrativa também depende da técnica utilizada, variando de região para região, profissional para profissional e das ferramentas utilizadas por esses profissionais, mas, em média, uma cirurgia refrativa a laser custa em torno de R$ 5000 para os dois olhos. Apesar da rápida recuperação, a LASIK com IntraLase tem um custo cerca de 50% maior do que a PRK.

Por fim, a técnica de cirurgia refrativa mais adequada varia de caso para caso. Antes de mais nada, é preciso uma avaliação com um oftalmologista para saber se o grau já está estabilizado e para realizar exames iniciais que determinarão a espessura da córnea e outras informações importantes que qualificam o paciente para esse tipo de cirurgia. Se você está em Brasília, agende uma consulta com nossa especialista.

Revisão técnica

Dra. Camilla Linhalis

Oftalmologista especialista em Córnea, Cirurgia Refrativa e Lentes de contato
CRM-DF 19030-DF / RQE 10499